sábado, setembro 30, 2006

O papel da rádio em Angola. Por Margareth Nanga

A Rádio Ecclesia é sem dúvida, o meio de comunicação que muito disse e diz à liberdade de expressão em Luanda, uma vez que ainda não tem permissão para emitir nas restantes 17 províncias angolanas. Esta estação reiniciou as suas emissões em 1996 mas, é em 1997 que dá os grandes passos e promove as primeiras emoções nos corações do público angolano, com a emissão de programas e jornais. A estação Católica não é só um novo meio, uma alternativa (em relação aos meios estatais), é antes de tudo um meio de comunicação que procura analisar “o outro lado“ das questões que os factos com relevância social e noticiosa fazem despoletar. Lado este, que é muitas vezes ofuscado ou intencionalmente omitido por qualquer razão que não seja a defesa do interesse público da comunidade. A Rádio Ecclesia é a estação da voz e vez dos que não têm espaço em nenhum outro meio de comunicação falado. A Emissora Católica ajuda hoje, na abertura de horizontes nesta sociedade, onde cada vez mais, os seus citadinos procuram sair do fundo das águas do silêncio que desespera. Esta assume corajosamente a sua missão e avança sem receios de um sistema que procura calar todos os que são contrários aos seus ideais. Sendo a primeira rádio com um sistema digital avançado em Angola e a única que o usa ao longo das suas emissões até ao momento, a rádio de confiança como também é conhecida, procura construir uma grelha de programas e informação com a maior qualidade possível e sempre com o intuito de levar à população o facto, a verdade, análise e opinião dos que a podem dar fazendo-o bem. A Ecclesia foi a pioneira dos debates informativos no mundo da rádio em Luanda. Com emissão ao sábados das 10h as 12h, o debate informativo é o segundo maior espaço de audiência da Emissora, na senda dos programas de carácter informativo. O fórum é o outro espaço de opinião. Neste os principais comentários são dos ouvintes, os chamados “comentaristas do quotidiano”. Neste dois espaços, os interlocutores são chamados a uma desafiadora e nobre missão: “pensar uma nova Angola”. Se este pensamento não é novo, e se daí não saem novidades para um país, a verdade é que sempre conseguiram suscitar fortes diálogos, com muitas críticas dirigidas à governação e aos seus governantes. Todos os sábados, segundas, quartas e sextas são dias de “desabafar”. Quem também lucrou muito com o surgimento da Rádio Ecclesia, foram os partidos políticos da oposição, não porque tenham um espaço assegurado na rádio mas, porque a Ecclesia dá oportunidade a todos para se expressarem, de acordo com a circunstância e importância sem deixar de ser apartidária. Com a Ecclesia, surgiram os jornais semanários com a mesma linha de actuação. Com isto, aos poucos, a imprensa passou a ser mais aberta, atrevida e, às vezes, “exagerada”. Seguiram-se críticas, rumores e até pronunciamentos oficiais de que a Rádio Ecclesia “era uma rádio de terroristas”, uma rádio contra-governo que só critica e nunca sugere, há até os mais ousados que a rotularam como sendo a “Rádio da Oposição”, “Rádio da Unita”, o maior partido da oposição. Com estes adjectivos, cada vez mais foi ficando difícil para a Emissora Católica ter fontes oficiais, os canais de informação no governo foram ficando cada vez mais fechados. Hoje, com quase 10 anos de reabertura, a Ecclesia continua a caminhar numa Angola onde já são visíveis, os sinais de uma sociedade pluralista. Hoje, é (também) graças à Ecclesia que cada um com a sua cor partidária, ou sem qualquer uma delas, consegue opinar e fazer da sociedade angolana, um sítio onde a diversidade pode “conversar” e andar. COLABORAÇÃO NO IGREJA LUSÓFONA O programa Igreja Lusófona tem o seu espaço ao domingo. A sua emissão em Angola passou por várias dificuldades técnicas que sendo superadas foram reiniciadas as emissões. A colaboração com este programa começou pouco depois da reabertura da rádio, tendo passado por ele jornalistas como, Gustavo Silva (actual Director Executivo da Ecclesia), Alexandre Cose e Cornélio Bento. Penso que desde o passado até ao momento, muita coisa mudou na relação Igreja Lusófona e Ecclesia. Desde as equipas que foram sendo substituídas (dum lado e do outro) até ao dia e hora de emissão do programa na grelha da rádio Ecclesia. As grandes dificuldades estão principalmente nas informações que nem sempre se tem acesso. Conseguimos ter de acordo com o tema e os problemas com a Internet, o que nem sempre facilita a emissão do programa em Angola. Mas, para além dos horizontes das nossas terras, e bem para lá do Oceano Atlântico esperamos que a nossa voz se faça ecoar para juntos fazermos a nossa parte, neste mundo, que muitos querem melhorar. ( Trabalho publicado num livro do Programa " Igreja Lusofona da Radio Renascença de Portugal)

7 comentários:

Soberano, LC disse...

Prezados MV e Nanga
Que a Ecclésia confere uma lufada de ar à informação veiculada no país, isso é bem verdade. Devemos porém apostar mais na formação dos nossos rapazes. Imaginem que um correspondente de Rádio como a vossa oiça mujimbos de autocarro(boatos), não bate a porta dos visados e lança isso como se de uma verdade se tratasse.
Confrontado, diz que não procurou confirmar o que anunciou porque a guarda da instituição nunca o deixou entrar em anos passados.
Pura brincadeira. As empresas e instituições públicas têm números de telefones em listas gerais (públicas), porta-vozes ou pontes (no meu caso). Formem um pouco mais o Almeida Sonhi da Lunda-Sul.

E ensinem-no a medir os prejuízos que provoca com informações falaciosas como a do dia 25 de Setembro sobre Catoca.

Anônimo disse...

A Ecclesia é uma radio interensante, mas creio eu que poderia fazer um pouco mais. Para mim parece as vezes amarrada a criterios pouco solidos no tratamento de alguns factos.

Moises kavanaky

Anônimo disse...

Acho o seu blog interessante. Força, acho que deviam ser criados mais pagidas destas.
PC

Anônimo disse...

Estimado Vieira,
O meu chapéu. Força, juventude da esperança sagrada.
Siona, 01.10.06

Anônimo disse...

Devemos ter mais blogs deste genero. Parabens por esse trabalho.

S.J.

Anônimo disse...

Convido-a a visitar o meu Blog em http://angolasempre.blog.com sobre diversos temas relacionados com Angola.
Carlos Lopes

Julieta A.......... disse...

olá margareth, adoro os programas da voss a rádio e minha na medida em que sou a 101% católica e ouvinte. acredito q no futuro terão mais aberturas para mostrat as pessoas o mundo(país)a que vivem,atendendo a todas as suas vitórias e fracassos. angola pode e deve favzer melhor por todos e por cada um. Palmas para vocês.