quarta-feira, dezembro 17, 2008

HORÁCIO REIS: “ AO LUBANGO… UM MONTE DE HISTÓRIAS” (I)

Nunca um trabalho aturado sobre o percurso, o desenvolvimento e as perspectivas da Rádio foram tão incisivas sobre o Lubango e redondezas.

Este viveiro claro do fenómeno radiofónico em Angola e Portugal continua incólume, hoje menos que ontem, na formação de novos quadros para potenciar o espectro radioeléctrico do país. Este para já é a meu ver o primeiro mérito do livro de Horácio Sousa dos Reis, publicado recentemente no Lubango. Trabalhei com Horácio Reis, directamente de Agosto de 1997 á Setembro de 2002, altura em que fui contratado pela Rádio Ecclesia.
Conheço boa parte das histórias narradas no livro. As mais recentes ainda ecoam (apesar dos anos e novos compromissos profissionais) pela minha memória. O Horácio é metódico no livro, narrando as histórias sempre na primeira pessoa. Discordo de alguns aspectos, mas concordo profundamente com a pertinência de se colocar mais informação á historia da Rádio na Huíla, um ponto que tem sido investigado por alguns profissionais especialmente radicados no exterior ( Portugal), mas altamente desprezado pelas novas gerações de quadros que auguram um lugar ao sol, no nosso mosaico jornalístico.
Apesar de alguns conflitos que tivemos, sei que nutrimos uma estima mutua que o tempo não apaga. O livro, em jeito de memórias, lança ao público o percurso de um profissionais de rádio mais cotados do Lubango e que por lá permanece apesar das agruras da vida, as vicissitudes e as apostas de outros quadros para novos “ poisos” profissionais.
O livro tem 212 paginas em que o autor discorre sobre a rádio do tempo colonial, altura em que se iniciou nestas lides, a sua passagem como estagiário em 1968 na Rádio comercial de Angola, a ida ao Moxico para a Rádio Clube, a entrada para o Rádio Clube da Huíla, e depois para a Rádio Nacional na Huíla. Horácio fala ainda da sua ida como sócio á Rádio 2000 onde ocupou no início o cargo de chefe dos serviços de produção e posteriormente administrador geral da empresa.
No Livro “ AO LUBANGO… UM MONTE DE HISTÓRIAS”, o jornalista não esquece a sua saída menos boa da gestão da Rádio 2000, não se coibindo, contudo, a criticar alguns “ ingratos” que terão desestabilizado a Rádio 2000. Na página 197, Horácio reis fala de “ um trabalho de desestabilização que estava a ser movido, por certos trabalhadores que, valendo-se dos seus lugares de chefia, conseguiram arrastar uma boa parte”. Aqui o autor fala com muita mágoa e acima de tudo do que se seguiu, a demissão dos implicados. Acrescenta o autor que “ naturalmente que a Rádio 2000, viria a ressentir-se desta situação deixando de ocupar um lugar cimeiro no contexto da comunicação social da região sul”.

Horácio Reis, nascido em Portugal em 1948 no Lubango notabilizou-se com crónicas apimentadas, com criticas extremamente abertas a governação local e a certos sectores da sociedade. “ Café Amargo” foi uma crónica diária e de saudade na rádio comercial. “Ecologicamente Falando” na minha rubrica semanal a segunda-feira em volta e meia “ Ecologia e suas vertentes” marcou-me profundamente. Encontrávamos temas para e educação ambiental dos habitantes do Lubango. O programa chegou a uma audiência de 30 por cento de ouvintes, emitido entre as 21 e as 23 horas. (Estudo independente, com uma “amostra” de milhares de ouvintes).
O livro foi lançado com a chancela da “ ALFA Editora” um novo projecto de Horácio Reis, detentor até hoje da única agência publicitária do Lubango, a ALFA. O livro passa pela crónica, a narração do percurso do autor, poemas e também uma colectânea das melhores notas e apontamentos que lançou para o ar nos 97.5 e 97.00, as duas frequências que a Rádio 2000 utilizou anos a fio. O prefácio foi escrito pelo falecido Carlos Andrade, um radialista de grande falia, sócio da Rádio 2000, poliglota, mestre de locução, humorista e director técnico da estação.

Um comentário:

Antonio do Rosario disse...

... Parabens!!!

Ao ler este artigo,deu-me saudade dos tempos da radio 2000, e nao somente por ter feito parte da familia que era a Radio 2000, gostaria de poder comprar um exemplar pois acho muito bonito, o culminaar de uma carreira jornalista, o lancamento do teu livro Horacio Reis, desejo-te muita coragem, por fazer o que fazias no tempo em fazias, significa muito mais... sobre os ppontos e aspectos menos bonityos segundo este artigol no correspondente ao teu afastamento desta Radio que era a Radio 2000, acredito que e olhando pra frente que se ve o caminho... Enfim, Todos os Parabens!!!


Antonio do Rosario

Maastricht - Nederland