quinta-feira, janeiro 25, 2007

Ryszard Kapuscinski, "o africano"

Ao ouvir a rádio, esta manhã, quando distribuía os meus filhos pelas escolas, ouvi a notícia da morte de Kapuscinski, um estranho polaco que contou África como poucos. Ryszard Kapuscinski escreveu coisas espantosas sobre os africanos, durante décadas. Correu o continente de lés a lés, sempre atrás das revoluções, golpes de estado e guerras sem fim. Escrevia notícias e escrevia livros. Os relatos de Kapuscinski levaram-me para o jornalismo e, talvez, para África. A notícia da sua morte só podia recebê-la de outro africano, realmente. Todos nós, africanos, acabamos de perder alguém que admirávamos. Durante décadas, Kapuscinski escreveu sobre o que viu e sentiu: a exaltação das independências africanas, a esperança no futuro, as desilusões, a amargura das guerras, o tribalismo e o racismo de que os africanos são vítimas e prevaricadores. Contava histórias de gente simples, do quotidiano das aldeias, de “uma África que não existe”, tal como ele disse. TEXTO RETIRADO DO BLOG www.blogda-se.blogspot.com , de Carlos Narciso

Um comentário:

Pedro Perassi disse...

Ja faz um ano!!
Kapuscinski era um mestre do Jornalismo, uma grande perda para a humanidade!