sábado, janeiro 10, 2009

A CULTURA EM ANGOLA DIANTE DOS DESAFIOS DA GLOBALIZAÇÃO

Define-se por cultura como o conjunto de manifestações artísticas, sociais, linguísticas e comportamentais de um povo ou civilização. Em suma os traços locais.

Angola tem várias culturas, unidas numa só nação, como garantiam as palavras de ordem dos tempos da “velha senhora”, entenda-se o partido único.
Assim, fazem parte da cultura de um povo entre outras, as seguintes actividades e manifestações: a música, teatro, rituais religiosos, língua falada e escrita, mitos, hábitos alimentares, dança, arquitectura, invenções, pensamentos, formas de organização social e muito mais.
Nesta semana muito se falou sobre a preservação da cultura nacional, com realce para o dia 8 passado, o considerado dia nacional da cultura.
A ideia passada esta semana, pelas autoridades, académicos, estudiosos do ramo cultural e outros intelectuais é da necessidade do resgate de parte da nossa cultura, em decadência geral devido a factores como a globalização, que nos entra porta a dentro num piscar de olhos.
Os sempre atraentes meios tecnológicos como a Internet e as parabólicas são descritos como os que mais fazem desvirtuar os conceitos como angolanidade.
Claro que nos podemos conter perante o avanço da ciência e da técnica. Mas é possível estar protegidos perante a constante perda de valores nacionais a favor de outras culturas distantes da nossa? Como nos proteger? Qual deve ser o plano de acção para que as nossas comunidades estejam firmes? Como “havemos de voltar” (aqui uma alusão ao desejo escrito pelo poeta maior) a nossa real cultura num contexto sócio económico como o que vivemos nos dias de hoje?
O tema da cultura angolana voltou a merecer destaque no discurso de fim de ano do presidente da república, José Eduardo dos santos. O chefe de estado Declarou ser a hora de se começar a construir uma nova mentalidade, sublinhando ser necessário rever certos hábitos e tradições, defender sem reservas o estatuto da família bem estruturada.
Por onde começar a mudar a mentalidade cultural dos angolanos?

Resgatar o verdadeiro sentido da nossa cultura será ruralizar as cidades, ou por conseguinte urbanizar o campo, como volta e meia assistimos?

3 comentários:

José Jorge Frade disse...

Perguntas de grande pertinência, para as quais ainda não se desenham soluções seguras...
Um abraço, pelo bom trabalho.
Zé Kahango

José Jorge Frade disse...

Indiquei o seu blog para o Prémio Dardos.

MESU MA JIKUKA disse...

Caro MV,
Fazes excelente pergunta. A meu ver, "Resgatar o verdadeiro sentido da nossa cultura" não será nem nem urbanizar o campo... O campo tem de ser urbanizado e as cidades têm de ser cada vez mais urbanas.
O resgate passará somente pela valorização. Isto é: Estudar e difundir. Temos que compreender que fomos, quem somos e quem seremos... A cultura é algo dinâmico e com frequentes empréstimos. Já dizia Heródoto(?) "Os homens são mais parecidos ao seu tempo do que aos seus pais". Significa dizer que cada tempo marca uma cultura. Certos actos e factos permanecem, outros se fundem...
Fico por aqui.
Quanto à pergunta que fazes na minha página... Gostaria é de ter encontrado resposta(risos).