terça-feira, janeiro 29, 2008

Jornalistas made in Angola ou nem por isso? Interessante....

Foi por estes dias que, há 35 anos, me ensinaram que se os jornalistas não vivem para servir aqueles que não têm voz, não servem para viver.

Como continuo a pensar que isso é verdade (cada vez mais verdade, tal é o crescente número dos que continuam sem voz), é caso para dizer que o que nasce direito… tarde ou nunca se entorta (também pode ser ao contrário).
Hoje, digo eu, os media estão cada vez mais superlotados de gente que apenas vive para se servir, utilizando para isso todos os estratagemas possíveis: jornalista assessor, assessor jornalista, jornalista cidadão, cidadão jornalista, jornalista político, político jornalista, jornalista sindicalista, sindicalista jornalista, jornalista lacaio, lacaio jornalista e por aí fora.

Recupero o texto da "lavra" de Orlando Castro que, entre os maiores, é seguramente o melhor bloguista, pois se recusa a curvar a coluna vertebral perante a vassalagem aos poderes reais dos tempos que correm.

2 comentários:

altohama disse...

Vejamos todos, até mesmo os que são obrigados a estar de olhos fechados, o que estão a fazer ao William Tonet. Amanhã, ou ainda hoje, será a nossa vez.

Alto Hama

MESUMAJIKUKA disse...

É.