quinta-feira, janeiro 17, 2008

MINHA AMADA ANGOLA

Um passo, um regresso.
As ideias fluem, mas a grandiosidade dos mecanismos locais são tremendamente enraizados que os caminhos surgem torpes, profundamente espinhosos.
Mesmo na procura do sucesso, como mandam os cânones da arte do bem informar (sendo 'bem' sinónimo de brio, ética e dar voz aos que bradam errantes á procura do seu eu e pão) e a opulência urdida a coberto de noites secretas em cabalas draconianas, de preferência regadas com os "néctares" de Baco.
Uns vão á cadeia pela verdade. Outros ficam fora das grades pela mentira. “ É a lógica da vida” dizem alguns. Outros, digo eu, olham para os sinais dos tempos. Angola é a minha amada.

P.S: Para o SC, um abraço. Este é um artigo descrito na série “ Escritos do nada”. Pensamentos errantes, na escolha de palavras normais, mesmo na anormalidade dos tempos. Pois a alma é cerrada de sentimentos contraditórios, mas pela língua e dedos á fora, urge lança-los como os nossos escritos.

Um comentário:

MESUMAJIKUKA disse...

Amigo PMV, um abraço. Sempre juntos nessa caminhada. Uns fora pela mentira e outros dentro pela verdade. E a justiça, a verdadeira justiça, tarda. Mas sempre acontece...
E assim vamos, uns confundindo a beira da estrada com a estrada da Beira. Sempre aprendendo e sacando pequenos ditos que dizem muito.
Outro abraço.
Lalipo Ciwa (tch)