segunda-feira, março 09, 2009

RÁDIO MAIS JÁ EMITE NO HUAMBO*

A “Rádio Mais” ( RM) , um dos órgãos do grupo “Média Nova”, iniciou nos últimos dias emissões regulares na cidade do Huambo e arredores, um primeiro passo para ter emissões de noticias, entretenimento e música para a conhecida “cidade vida” e os seus arredores.

Fontes concordantes afirmam que a “Rádio Mais” está a cumprir um plano estratégico que visa a meio prazo estender as suas emissões á importantes cidades do país, numa extensão de sinal que já se vinha cogitando, antes da abertura desta nova rádio privada. As emissões experimentais da Rádio Mais no Huambo estão a ser suportadas, segundo apuramos, por uma força de trabalho contratada localmente, na sua maioria jovens jornalistas de outros órgãos de comunicação social, por um lado, e por outro por pessoas que têm apetência em seguir a carreira jornalística.
O plano para a disseminação das emissões da Rádio Mais para o interior, segundo as nossas fontes abrange ainda as localidades de Lobito e Lubango. As emissões irradiadas a partir do Lobito, onde já está em marcha a construção de instalações e a mobilização de quadros, serviriam para atingir o eixo Benguela e imediações do Kwanza Sul. Segundo as fortes do A CAPITAL, o processo está avançado para iniciar com as emissões com vista a disseminação de informação diferente da veiculada a pela Rádio pública. Note-se que Benguela, a considerada segunda maior praça eleitoral e possuindo o segundo maior parque industrial de Angola depois de Luanda, tem apenas uma rádio privada a Rádio Morena Comercial, detida por um grupo próximo ao MPLA. No espectro radioeléctrico local destaca-se ainda a Rádio Benguela e Rádio Lobito, bem como alguns centros de produção, estações todas vinculadas ao gigante Grupo Rádio Nacional de Angola.
Quanto ao Lubango, nos últimos dias uma equipa da direcção da Rádio Mais chegou ao terreno para abarcar no seu seio dezenas de jornalistas a embarcarem no mais novo projecto de Rádio autorizado pelo ministério da comunicação social. Segundo apuramos grande parte dos jornalistas que antes estavam vinculados a Rádio Comercial 2000 poderão abraçar a RM.
Recordo que a Rádio 2000 observou em 2006 uma expulsão de cerca de 15 jornalistas e técnicos devido a exigências para a demissão de um dos seus gestores, acusado de um mau desempenho nas suas funções. A RM no Lubango poderá estar instalada no bairro “ Santo António”, um zona descrita como de elite e estratégica para a emissão de sinais de Rádio devido a sua elevação. Esta área foi escolhida a vários anos pela TPA, para instalar o seu Centro de Produção na região sul.
Com a instalação da Rádio Mais fora de Luanda, a estação do grupo “ Média Nova” ultrapassa assim pela direita a sua congénere da Igreja católica, Rádio Ecclésia, que há cerca de cinco anos tem montados no interior equipamentos de ponta que serviriam de suporte a repetição do seu sinal ou emissões locais, com o concurso dos seus correspondentes, padres que coordenam o trabalho ou inclusive o recrutamento de outros profissionais das sinais em causa. REFORÇO NA GESTÃO DO CANAL A Rádio Mais recebeu nos últimos dias o reforço de Amélia Mendes para se ocupar do cargo de directora de informação. A jornalista estava anteriormente vinculada a RNA e a secção em português da “ Voz da América” em Luanda. Amélia Mendes, foi uma das fundadoras da Rádio Luanda. Profissional de créditos reconhecidos, principalmente na área social, Amélia será a coadjutora de José Marques Vieira, director geral, para se ocupar dos conteúdos informativos da estação, descritos actualmente como muito aquém da expectativa de alguns ouvintes da capital, tendo em conta a dinâmica das suas concorrentes directas, nomeadamente a Rádio Luanda (entretenimento, animação e noticias) e a Rádio Ecclésia (notícias, informação, debates e educação cívica) as lideres de audiência na capital, segundo alguns estudos. DE QUEM SE TRATA? A Rádio Mais, se define como um canal comercial de vertente generalista. Faz parte do Grupo Nova Media, um sociedade anónima apontada como sendo suportada por figuras próximas ao presidente da Republica, entre elas a sua filha mais velha, Isabel dos Santos, e o seu ministro -chefe da casa militar, Hélder Manuel Vieira Dias “ Kopelipa”.
A estação emissora, que transmite nos 99.01 MHZ terá sido “colocada” estrategicamente entre duas das estações com maior audiência na capital, Ecclésia (97.5 MHZ) e Rádio Luanda (99.9 MHZ), numa “tirada de mestre” que tem sido de mais valia para a garantia do seu espaço. Tem instalações próprias na zona nobre do “Nova Vida” em Luanda, com salários principescos, segundo as nossas fontes. Segundo o seu sítio na Internet, A Rádio tem um caudal de informação na edição da manhã, com notícias, trânsito, revistas de imprensa, desporto, música, reportagem, ecologia, entrevistas, etc. a estação transmite relatos da Liga de Futebol português em parceria com o Rádio Club Luso e noticias em português com produção da BBC. Fazem parte do grupo Média Nova, para alem desta Rádio, o jornal o País, a revista Vida e a TV Zimbo.
* Artigo publicado no Jornal A Capital.

Um comentário:

MESU MA JIKUKA disse...

Eclésia ultrapassada à direita? Tem de ser já, já aplicado o "Novo Códico" de Autorizações...