segunda-feira, julho 13, 2009

Crise nos caminhos de ferro

Crise económica mundial obriga a redução do investimento para a reabilitação e desenvolvimento dos caminhos-de-ferro em Angola. Um volume de cerca de dois mil milhões de dólares foi lançado a cerca de 5 anos pelas autoridades angolanas para fazer das três linhas de ferro do país funcionais. Hoje o resultado do investimento vindo de uma linha de crédito da China começa a ser questionado. Do gigante asiático já não chegam novas remessas de dinheiro, igualmente devido a crise económica. Era desejo de Angola concluir totalmente com o processo até ao final deste ano. A falta de agilidade no trabalho, as minas no terreno e a falta de salários para os trabalhadores angolanos sub contratados por empresas chinesas emperram o sucesso da reabilitação. Dos três caminhos-de-ferro, o mais importante liga Benguela, no litoral centro de Angola junto ao Oceano Atlântico á Zâmbia e Congo Democrático. A reabilitação vai á meio e o comboio este ano não poderá apitar nos países vizinhos.

3 comentários:

Cris disse...

Antes de mais um bom dia.
O meu nome é Cristiana Pereira e sou estudante de Comunicação Social em Portugal.
Durante toda a minha vida tenho ouvido falar constantemente de Angola, quer por portugueses que estiveram no país antes da Independência, quer por angolanos que entretanto conheci por aqui. E há muito tempo que quero conhecer o país. Por isso tenho pesquisado muito sobre a história e o estado actual do jornalismo angolano, já que adoraria ajudar a desenvolver uma democracia mais forte em Angola na área que me compete: a comunicação social.
Apesar da vontade ser muita, tenho ainda de esperar algum tempo.
Assim sendo, vou seguir com atenção o seu blog para aprender muito sobre a realidade do país.

Um abraço forte com o desejo de que tudo corra pelo melhor. Nunca desista de ser audaz. Foi um prazer conhecer este blog.

Cristiana Pereira, Figueira da Foz, Portugal.

José Jorge Frade disse...

Saúdo a boa vontade de Cristiana! Visite os blogues e continue a falar com os angolanos. Verá que na verdade há muito a fazer...

MESU MA JIKUKA disse...

Amigo MV,
Vim deixar os meus parabéns pelo prémio. Que venha o Maboque inteiro!
LC